Concerto de Reis

Esperava-se uma tarde de domingo aprazível e um espetáculo anunciado de Reis, de revisitação de todo um ano de trabalho, que confortasse o sentimento de alegria nos muitos momentos vividos pela Filarmónica de Santa Comba Dão durante o ano que findava.

Assim aconteceu no passado dia 8, à tarde, pelas 15 horas e 30 minutos, na Casa da Cultura de Santa Comba Dão, no grandioso concerto que elogiou todo um ano de trabalho intenso que a Filarmónica tão bem desempenhou, relembrando também os momentos descontraídos de diversão, de amizade, de fraternidade, presentes nos convívios que aconteceram para fortalecer os laços de união, e de boas vindas ao novo Ano e a todas as oportunidades que trará para a Filarmónica continuar a mostrar o seu trabalho, a sua dedicação e o seu empenho em aceitar novos desafios.

Podemos presenciar as maravilhosas atuações do magnífico Coro Magnus D´Om, que iniciou o espetáculo acolhendo as pessoas que se encontravam no átrio da Casa da Cultura, para assistir ao concerto, dando as boas vindas pela voz do seu Maestro Luis Rendas Pereira e interpretando magnificamente, de seguida, as peças de J. Rutter – The Lord will bless you and keep you, de E. Carrapatoso – Ó meu menino Jesus e, finalmente, Praise his holy name, de K. Hampton.

O espetáculo prosseguiu, já com as pessoas a preencher por completo a sala de espetáculos, que ía albergando cada vez mais pessoas, à medida que chegavam e à expetativa que este concerto criou no muito público que dele teve conhecimento, com a interpretação pela excelsa Orquestra da Banda Filarmónica, das obras de Bert Appermont, Ivanhoe, de Steven Reineke,  Sedona, The second waltz, de Shostakovich e Swinkling Christmas, num arranjo de Willy Hautvast, apresentadas pela Maria Gomes, que teve a seu cargo esta tarefa, para além da de instrumentista da Banda, num desempenho em que a excelência da execução e a beleza e harmonia do que ouvimos, com momentos intercalados de interpretações a solo por músicos da orquestra, levou o público a levantar-se, por diversas vezes, e a reconhecer tão elevada distinção com grandes salvas de palmas que denotaram a satisfação com que apreciava o concerto.

Foi a vez de surgir de novo o Coro Magnus D´Om, entrando pelas alas da sala e oferecendo a todos os presentes uma versão admirável da peça Zulu, Siyahamba, dirigindo-se ao palco, onde interpretou, sob a direção do Maestro Luis Rendas Pereira, a peça de J. A. Nunes – Ó meu Jesus pequenino e Tollite Hostias, de C. Saint Saens, ambas com o acompanhamento da Orquestra da Filarmónica, dirigidos, Coro e Orquestra, ora pelo Maestro Luis Rendas Pereira, ora pelo Maestro Cláudio Ferreira doutras vezes, alternando ambos na direção conjunta de Orquestra e Coro.

Mas o momento alto do espetáculo deu-se com a entrada em palco do Coro infantil das meninas e meninos da Escola de música, para se juntar ao Coro Magnus D´Om e à orquestra da Banda e, assim, atuarem e terminarem todos juntos em palco, com a interpretação de um apropriado e conhecido Medley de Natal, que decorreu com um intervalo, antes do culminar do concerto, para se apresentar e dar as boas vindas aos novos músicos que passaram a integrar a orquestra da Banda Filarmónica, a Beatriz Fernandes, o João Rodrigo, a Laura Batista, o Sérgio Viegas e o Telmo Oliveira, meninas e meninos da Banda juvenil que tiveram, neste concerto, as suas primeiras apresentações públicas.

O concerto terminou em pleno com as magníficas atuações conjuntas do Coro Magnus D´Om, Orquestra da Banda Filarmónica, Coro infantil da Escola de música, nas suas capacidades de interagir e criar expressões artísticas e musicais de total partilha de coreografias e manifestações combinadas de formas de exibição, que enriqueceu o espetáculo e encantou o público presente que encheu a sala de espetáculos.

Um concerto memorável a mostrar todo o esplendor da Filarmónica de Santa Comba Dão.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *