Concerto de Reis

    Grandioso Concerto de Reis da Filarmónica de Santa Comba Dão, na celebração de um ano de trabalho cheio de realizações e iniciativas e do início de um novo ciclo que se avizinha e que lança novos desafios à Escola de música e à sua Banda juvenil, ao Coro Magnus d’Óm, à Banda Filarmónica e a todas as suas estruturas internas e valências da Filarmónica, para se preparar e acolher o ano vindouro de 2020, em que se comemorá o bicentenário da fundação da Filarmónica, e que se antevê já neste grandioso concerto que elogiou todo o intenso trabalho que a Filarmónica desenvolveu ao longo destes últimos anos, relembrando também os momentos descontraídos de diversão, de amizade, de fraternidade, presentes nos convívios que aconteceram para fortalecer os laços de união e mostrar o trabalho, a dedicação e o empenho em se projetar no futuro.

     Futuro que se renova sempre na ação dos maravilhosos músicos, coralistas, alunas e alunos da Escola de música e da Banda juvenil, dirigidos pelo seus maestros e professores, e cujo resultado se espelhou no deslumbrante espetáculo coral e musical que ofereceram, mostrando toda a abrangência artística que a Filarmónica tão eloquente e diversificadamente sabe proporcionar.

      Assim aconteceu no passado dia 12, pelas 21 horas, na Casa da Cultura de Santa Comba Dão, com cerca de 125 músicos, coralistas e alunos em palco perante um publico muito diversificado e esperado, consequência da diversidade etária das alunas e alunos da escola e dos músicos e coralistas, que atravessam todo o espetro de idades e formam a união da Filarmónica na pluralidade das suas capacidades de intervenção artística e cultural.

    O espetáculo iniciou com a apresentação pela Margarida Oliveira, que se sucedeu na função de instrumentista da Banda e de apresentadora do concerto, da Banda juvenil da Escola de música, dirigida pelo seu Maestro Prof. João Alves e suportada por alguns colegas adolescentes, executantes que já integraram a Banda Filarmónica, interpretando “Bubblegum” e “Shenandoah”, de Jack Bullock e “A Joyful Journey”, de Robert Sheldon, em conhecidos arranjos das bandas sonoras, terminado assim a apresentação da boa preparação, estudo e performances conseguidas em momento único de concerto da Banda escolar, recolhendo os muitos aplausos com que o público acolheu e brindou o esforço e empenho destes pequenos grandes músicos.

        Foi a vez de surgir a magnífica atuação do Coro Magnus d´Óm e do seu distinto Maestro Luis Rendas Pereira no espetáculo, que aproveitou para tecer elogios ao Coro e lançar o convite a futuros interessados em fazer parte do Coro, acompanhados ao piano pela magífica e talentosa pianista Aukea Sarneel, envolvendo as pessoas e interpretando magnificamente as peças “Cantar”, de J. Althouse, “Jingle Bells” em arr. J. Pierpont, “Hallelujah, de G.F.Handel e culminando com “Praise his holy name”, de K. Hampton, em arranjos especialmente adaptados à estrutura vocal do coro e do alinhamento do espetáculo. Seguir-se-iam depois as tradicionais peças “Natal de Elvas” e “Cantem os Anjos”, em momento posterior e em conjunto com o coro das meninas e meninos da escola, e com a Banda a promover o fundo musical.

        Entrou em palco a Banda Filarmónica de Santa Comba Dão. Apoteose. Muito ovacionada. Para se posicionar para atuar e receber o ilustre e digníssimo Maestro Prof. Cláudio Ferreira, a dirigi-la com a sabedoria e experiência da direção de grandes composições orquestrais de instrumentais e vozes, e assim iniciar com a interpretação da obra “Paso Doble” de Enrique Lopez, “The Mask of Zorro”, um medlley hit de Frank Sinatra, com momentos intercalados a solo por músicos da orquestra, como a Ana Rita Cordeiro e Beatriz Macieira, em saxofone e o Rafael Mosca, em trombone, integrar depois as crianças da Escola no Coro Magnus d’Óm e suportar com a orquestra da Banda o conjunto e o momento alto do espetáculo com todos juntos em palco, a interpretar “Natal de Elvas” e “Cantem os Anjos”, numa empolgante exibição de fulgor e energia de celebração de toda a Filarmónica.

        Seguiu-se depois a fulgurante interpretação, pela orquestra, da peça “When you believe” da banda sonora do filme “The Prince of Egypte”, a marcar o tema do concerto que se desenvolveu em torno da esperança em acreditar no passado genuíno e grandioso da Filarmónica, e prestes a alcançar os 200 anos de existência, num desempenho em que a excelência da execução e a beleza e harmonia do que ouvimos levou o público a reconhecer tão elevada distinção com grandes salvas de palmas que denotaram a satisfação com que apreciava o concerto.

        Seguiu-se o momento de apresentar e felicitar a Ana Carolina Antunes como a nova executante da Banda Filarmónica, e do sucesso em obter tão distinta nomeação, e do presidente da Filarmónica prosseguir chamando ao palco o representante da edilidade, Dr. Agostinho Marques, que cumprimentou o publico presente e agraciou o esforço de todos em presentear a comunidade com este concerto. Passou depois aos devidos agradecimentos às pessoas, entidades e instituições que colaboram e ajudam a Filarmónica de Santa Comba Dão, agradecendo o esforço coletivo.

       As ofertas de flores pelos pequenitos da Escola, aos maestros e pessoas convidadas para o concerto, deu cor ao momento e abriu a vontade da Banda terminar com a peça “Radestsky March”, criando um ambiente de harmonia visual e musical envolvente de comunhão com todos e entre todos, com a jovialidade a tomar forma e a partilhar emoções e vontade de cantar e tocar em total sintonia com o poder que a música tem de a todos unir num espetáculo que a todos encantou, em encore da ultima peça insistentemente pedido e concedido antes da fotografia final de família que as pessoas quiseram testemunhar como prenda de Reis e graças num futuro risonho para todos e para toda a Filarmónica de Santa Comba Dão.

         Bem hajam,

        Viva a Filarmónica de Santa Comba Dão.

*fotos gentilmente cedidas por Vitor Corveira

SAMSUNG CSC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *